Para que o público conheça um pouco mais não somente da culinária, mas da cultura judaica em geral, a Na’amat Pioneiras – grupo de mulheres judaicas que buscam valorização feminina através de trabalho voluntário – irá realizar o tradicional bazar beneficente.

Tu sabia?

A cultura judaica é marcada por comemorações, rituais e por sua diversificada culinária. Os judeus, através de sua história, sempre moraram em diferentes países no mundo e, com isso, foram criadas divisões dentro da própria cultura do povo.

A partir disso, a gastronomia judaica se divide entre os Askenazi e os Sefaradi.

Na gastronomia, os Askenazis são conhecidos por utilizar menos temperos em suas comidas. Cebolas caramelizadas são a base para o preparo de pratos como frango, kiguels (uma torta de macarrão) e varenikes (massa recheada).

Alho e ervas, como salsinha e louro, são bastante usados também. Um condimento importante é a raiz forte para fazer o chrein, um molho de beterrabas, que acompanha o guefilte fish, um bolinho de peixe.

Os pães famosos são a chalá, bagels e o pão preto. A semente da papoula e o kümel são usado para dar sabor aos pães.

Também são conhecidos por excelentes sobremesas, com bastante canela, como por exemplo, o bolo de mel, o bolo de maçã, o strudel, as tortas e os blintzes, uma espécie de panquecas.

Na culinária dos Saferadis, os temperos são bem mais utilizados. O alho e o limão são sabores muito populares, e o azeite de oliva é a gordura de preferência. Cominho, pimenta e canela são usados para temperar a carne e o frango.

O gergelim é um condimento importante não só para dar sabor aos pães, mas também para fazer tahine – pasta feita com a semente.

Pita é o pão preferido, e o grão mais utilizado é o arroz. Alguns feijões como fava, lentilha e o grão-de-bico estão presentes nesta culinária. Azeitonas são o aperitivo favorito, e as sobremesas não são tão importantes na comida Sefaradi. Para terminar a refeição, geralmente, são servidas frutas e nozes.

Neste ano, o evento evento será realizado no dia 27 de agosto na Associação Leopoldina Juvenil, e contará com diversos expositores de artigos de Israel, artigos de cozinha, livros usados, bijuterias, artesanato e vestuário.

Além disso, os visitantes poderão degustar de comidas típicas judaicas e apreciar shows musicais, apresentações de danças tradicionais, jazz e ballet.

Para já se familiarizar com a culinária judaica, aprenda a preparar essa receita de Chalá que a Na’amat Pioneiras enviou:

Ingredientes:

– 1 pacote de fermento para pão
– 2 colheres de chá de açúcar
– 1 1/4 de xícara de água morna
– 4 1/2 xícaras de farinha de trigo peneirada
– 2 colheres de chá de sal
– 2 ovos batidos
– 2 colheres de sopa de óleo
– 4 colheres sde opa de semente de gergelim ou passas de uva, se preferir
– gema de ovo para pincelar

Modo de preparo:

Em um recipiente, misture o pacote de fermento e o açúcar com 1/2 xícara de água morna e deixe descansar por uma hora.
Em outro recipiente, misture a farinha com o sal.
Faça uma depressão no meio, e adicione os ovos, o óleo e o restante da água morna.
Misture bem e junte o fermento.
Amasse tudo sobre uma superfície polvilhada com farinha até que a massa fique lisa e elástica.
Coloque-a numa vasilha e pincele a parte de cima com um pouco de óleo.
Cubra com um pano, deixando-a descansar em lugar protegido até dobrar o tamanho.
Divida a massa em três porções iguais.
Enrole-as e faça uma trança.
Pincele-a com gema e espalhe as sementes de gergelim sobre ela.
Coloque-a em uma assadeira untada e enfarinhada.
Deixe o pão crescer, em lugar protegido, até aumentar.
Pré-aqueça o forno em fogo médio.
Asse o pão por cerca de 30 min, até dourar.

noticia, gourmetice, bazar beneficiente, na'amat pioneiras, grupo, mulheres, judaicas, cultura, gastronomia, judaica, judeus, receita, chalá, pão, askenazi

Crédito: Divulgação | #pracegover: Foto com dois pães trançados amarelos com sementes de gergelim preto, sobre guardanapo de tecido branco com renda nas bordas.

A Associação Leopoldina Juvenil fica na Rua Marquês do Herval nº 280, no bairro Moinhos de Vento, em Porto Alegre/RS

Para mais informações sobre o Na’amat Pioneiras, visite: www.naamat.org.br.

Fonte: Divulgação